Portal Ituiutaba
Menu
  MÉDICOS - HOSPITAIS 
  ESCOLAS 
  GALERIA DE PREFEITOS 
  LEIS 
  ITUIUTABA 
  CULTURA 
  CRÔNICAS 
  UTILIDADE PÚBLICA 
Endereço
Ituiutaba - MG
(034) 99951-9526
Fale Conosco

  

ITUIUTABA: 117 ANOS DE HISTÓRIA E DESENVOLVIMENTO
 
 
 
Vista aérea de Ituiuta
 
 
37.075 Visualizações
 
 
 
            ITUIUTABA, nome derivado de expressões ameríndias (I – rio, TUIU - tijuco; TABA – povoação), o qual siginifica Povoação do Rio Tijuco, conquistou sua emancipação há 117 anos (lei n° 319, de 16 de setembro de 1901). São largos anos de história, a qual é preciso ser relatada para vocês leitores conhecerem um pouco mais desse passado, que nos trazem uma consciência histórica dos processos que resultaram na constituição da nossa querida cidade.
            O processo de povamento da região do Triângulo Mineiro começou nos meados do século XIX, como consequência pela queda da produção nas minas de ouro, onde fez com que os habitantes das “Gerais”, se dedicassem à agricultura e à pecuária e chegassem a essa região com a necessidade de grandes extensões de terras. Assim, esses primeiros pioneiros receberam por doação do Império, as Sesmarias, a partir de 1810.
            Em 1820, chegaram os primeiros desbravadores desta terra. Eram os dois fazendeiros José da Silva Ramos e Joaquim Antonio de Moraes, vindos do Sul de Minas. O primeiro era proprietario da Fazenda São Lourenço, e o segundo da Fazenda do Carmo. Essas fazendas eram vizinhas e o patrimônio compreendia uma área entre os córregos Sujo e Pirapitinga. Esses dois fazendeiros tornaram-se concunhados devido ao encontro do casamento de ambos na família Franco. Vieram também os Silva Ramos, os Morais, os Vilela, os Teixeira Alves, os Pereiras dos Santos e os Junqueiras.     
            José da Silva Ramos e Joaquim Antonio de Moraes doaram uma parte de suas terras para a construção de uma capela e um cemitério. Já em 1830, chegou na região o Padre Antônio Dias de Gouvêia, que tinha algumas terras às margens do Rio Tijuco. Assim, com a construção da capela e a vinda de vários forasteiros, o Padre Antônio fundou um pequeno povoado denominado de Capela do São José do Rio Tejuco em 1833, recebendo o primeiro capelão, Pe. Francisco de Sales Souza Fleury. Chegaram também nessa época outras famílias: Bernardes de Souza, dos Nunes de Medeiros, dos Andrade, dos Martins Ferreira, dos Franco e dos Ribeiro.
 
Cônego Ángelo Tardio Bruno
 
            Em 1839, foi instalado o distrito de “São José do Tijuco” pertencente ao têrmo de Vila de Uberaba. Nesse mesmo ano já havia sido construída a nova capela, que se tornou a Capela-Mor da matriz de São José, concluída em 1862. Em 7 de novembro de 1860, através da Lei Estadual n.° 1360, foi criado a freguesia de São José do Tijuco desmembrada da freguesia de Nossa Senhora do Carmo, do Prata – MG.
              No ano de 1883, chega ao povoado o Cônego Ângelo Tardio Bruno, vindo a convite de Antonio Pedro Guimarães. Cônego Ângelo foi umas das personalidades mais importantes e benfeitoras de nossa cidade, onde fez o traçado das ruas, construções de casas de alvenaria, pontes, plantações, foi juiz de paz, ergueu a capela da Abadia, ampliou a Matriz de São José e fundou colégios sendo também professor. Em 1886, ele fundou a primeira Banda de Música, que teve a regência do Maestro Francisco Gonçalves Moreira (Guató), que doou os primeiros instrumentos musicais.
            No recenseamento de 31 de Dezembro de 1890, após a proclamação da República, a freguesia de São José do Tijuco era composta por 5.067 habitantes e no final dessa década começou a almejar a sua administração política. Assim, em 16 de setembro de 1901, o governador de Minas, Salviano Almeida Brandão, através da Lei Estadual n.° 319/01, separou o distrito de S. José do Tijuco do munícipio de Prata e criou o munícipio de Vila Platina, emancipando-a política e administrativamente, fazendo assim parte integrante da nova comuna, os distritos de “São José do Tijuco” e “Nossa Senhora do Rosário da Boa Vista do Rio Verde”- o arraial do Monjolinho, sede do atual município de Campina Verde.
            No dia 1° de Janeiro de 1901, se instaurou na Vila Platina os primeiros membros da Câmara Municipal, onde era composto por: Cel. Pio Augusto Goulart Brun (Presidente); Tobias da Costa Junqueira (Vice-presidente); Aureliano Martins de Andrade (Secretário); oito veradores, sendo eles: Tte. Cel. Antônio Pedro Guimarães, Constâncio Ferraz de Almeida, Cel. João Evangelista Rodrigues Chaves (pelo distrito de Rio Verde), Marinho Dias Ferreira, José de Andrade e Sousa, Manuel Tavares da Silva, Manuel Bernardo Sobrinho e Antônio da Costa Junqueira. E como agente executivo foi empossado o Sr. Augusto Alves Vilela.  
            Em 1915, a Vila Platina foi elevada a termo judiciário com o nome atual de Ituiutaba (cujo significado foi esclarecido no início desta obra), através da Lei nº 663, de 18 de setembro de 1915, que alterou a divisão judiciária do Estado, continuando, entretanto, a pertencer à comarca de Prata; mas somente foi oficializada esta Lei pelo Decreto nº 4759, de 25 de abril de 1917, quando foi marcada a data para a instalação do Termo, o que se efetivou em 06 de julho de 1917, com a posse do primeiro juiz municipal – Dr. Luiz Jefferson Monteiro da Silva.
Muitos trabalhos tiveram os pró-homens de então, para que fosse criada a comarca em Ituiutaba, o que foi possível em virtude do art. 7º, da Lei nº 879, de 24 de janeiro de 1925, redigido nos seguintes termos: “Fica transferida para Ituiutaba a sede da comarca de Monte Alegre, constituindo o atual território, de que se compõe este município, termo pertencente à comarca de Uberabinha”.
A instalação da Comarca de Ituiutaba teve lugar no histórico dia 12 de abril de 1925, sob a presidência do Dr. Newton Bernardes Ribeiro da Luz, que foi também o primeiro juiz de Direito de Ituiutaba.
            No que tange a educação em Ituiutaba, em 21 de janeiro de 1908 houve a construção do primeiro Grupo Escolar, nomeado “Vila Platina”, depois Grupo Escolar João Pinheiro, nome que permanece até hoje. O seu primeiro diretor foi Benedito Chagas Leite. Até 1914 foram fundadas novas escolas: Escola São José, de Laurindo de Oliveira e Instituto Propedêutico, com internato e externato, dirigido por José Inácio de Souza. Já nos anos 30, surgiram duas escolas de cunho privado na cidade. São eles, o Instituto Marden e o Colégio Santa Teresa. Outras escolas importantes que fizeram e algumas ainda fazem parte da história da educação de nossa cidade foi o Colégio São José, criado em 1948; o Grupo Escolar Ildelfonso Mascarenhas da Silva que deu início às suas atividades em 9 de março de 1947; Grupo Escolar Senador Camilo Chaves criado em 30 de abril de 1955; o Grupo Escolar Governador Clóvis Salgado de 27 de janeiro de 1956; a Escola Estadual de Ituiutaba (Arthur Junqueira de Almeida) em 18 de abril de 1958 e a Escola Estadual Governador Bias Fortes em 27 de novembro de 1959, dentre muitas outras.
 
De 1º de janeiro de 1967, a 1º de janeiro de 1971, na gestão do então prefeito Samir Tannús, Ituiutaba alcançou um desenvolvimento extraordinário com a criação e implantação de vários órgãos e instituições que marcaram época na história deste município no estado de Minas Gerais, tal foi o fluxo de obras realizadas nesse período, dentre elas:                                                                                                    

- Construção de uma escola em cada 32 dias de Governo no município de Ituiutaba; foram construídas 40 escolas;

- Construção da Escola Municipal Machado de Assis;

- Construção do Ginásio Agrícola Municipal, no Córrego do Açude;

- Implantação do Campus Universitário, projeto da Universidade, criação e implantação das escolas superiores;

- Instalação da Biblioteca Pública Municipal Senador Camilo Chaves;

- Criação e Instalação da Banda Mirim de Ituiutaba e Escola de Formação Musical (Maestro Elias Antônio Daia);

- Criação da Superintendência de Água e Esgotos de Ituiutaba (SAE), hoje referência nacional no tratamento de água com certificado ISO 9002;

- Criação da Caixa de aposentadoria do servidor Municipal – CASMI;

- Introdução pioneira no Estado, da utilização da informática em uma prefeitura, quando se iniciava a computação eletrônica;

- Criação da Superintendência Municipal de Estradas de Rodagem - SUMER ;

- Elaboração dos códigos de Edificações, Posturas, Tributário e de Obras Públicas;

Diagnóstico Socioeconômico, Levantamento aerofotogramétrico);

- Integração do Município ao Sistema CEMIG, solucionando definitivamente o problema energético de Ituiutaba. 

- Desapropriação da empresa luz e Força de Ituiutaba – ELFISA – e a integração do

- Elaboração do Plano de Desenvolvimento Integrado (Viabilidade Econômica,

- Construção do Primeiro Conjunto Habitacional do Triângulo Mineiro: as casas

populares do Bairro Ipiranga;

- Abertura da Avenida Avanhandava (Hoje Avenida Napoleão Faissol);

- Construção da Praça 13 de Maio, justa homenagem à valorosa Raça Negra de

Ituiutaba;

- Construção do Terminal Rodoviário de Ituiutaba, Fernando Alexandre (obra concluída na gestão prefeito Fued Dib);

- Construção do Prédio do (Fórum Newton Luz), com recursos do Município;

- Implantação do Distrito Industrial Antônio Baduy;

- Início da implantação do Distrito Industrial Manoel Afonso Cancella, obra concretizada na administração do então prefeito Acácio Alves Cintra Sobrinho;

- Abertura da Avenida Minas Gerais.


No ensino superior, nossa cidade conta com algumas instituições que são referências como pólo educacional na região. Em 27 de setembro de 1968 foi criada a Escola de Administração de Ituiutaba (EAEI), conhecida hoje em dia como Faculdade do Triângulo Mineiro (FTM).
Nesse mesmo ano houve a instalação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ituiutaba (FAFI) e logo após no ano de 1973, teve a criação de sua segunda unidade de ensino superior, a Faculdade de Engenharia de Ituiutaba (FENI). Em 1984, começou a funcionar a terceira unidade de ensino superior, a Faculdade de Ciências Agrárias. Uma mudança na estrutura organizacional da instituição foi colocada em prática, com a fusão dessas faculdades, dando origem ao Instituto Superior de Ensino e Pesquisa de Ituiutaba (ISEPI) em fevereiro de 1986.
            A partir de 1989, o ISEPI junto com a Fundação Educacional de Ituiutaba se integrou a recém criada Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). A partir de 2007, foi instalado um campus avançado da Universidade Federal de Uberlândia na cidade, denominado de Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP), Campus do Pontal. Em 2008, iniciou-se o processo para instalação de mais uma unidade educacional, escola técnica de nível superior (INFETE), mais tarde com sua inauguração em 8 de março de 2010, passou a chmar-se IFTM - Instituto Federal do Triângulo Mineiro, com vários cursos técnicos e superiores.
Nos aspectos industriais, é importante destacar o título de “Capital de Arroz” que Ituiutaba recebeu a partir de década de 1950. Tudo começou quando em 1915 foi instalada a primeira máquina de beneficiar arroz, de propriedade de Sr. José Temíscoles Petraglia juntamente com o seu sogro Antônio Severino. Em meados da década 1930, por iniciativa do Sr. Tonico Franco foram instaladas novas máquinas de arroz que ficava no quarteirão da rua vinte, entre as avenidas cinco e sete. Porém, foi somente em 1938 que foi instaurada a primeira indústria de Ituiutaba, o empreendimento do que viria a ser as Indústrias Reunidas Fazendeiras (“Baduy e Cia.”) que congregava: várias máquinas de beneficiar arroz e máquinas para a fabricação de manteiga de leite e óleo de caroço de algodão. Em 1965, deu-se a maior safra já vista na região, sendo armazenada pela Casemg (Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais), mais de um milhão e duzentos mil sacas de arroz em casca. Assim, no início da década de 1950, o nosso município foi o maior produtor de arroz do estado de Minas Gerais, aonde chegou a contar mais de cem (100) máquinas de beneficiamento de arroz, recebendo o título de Capital Brasileira do Arroz.
Também em 1950, surgiu o primeiro frigorífico da cidade, o Matadouro Industrial de Ituiutaba S.A (MIISA), onde se transformou numa transação comercial numa grande empresa exportadora de carne sob o comando, inicialmente do Grupo Central e posteriormente do Grupo Bertin, hoje JBS (Friboi). Em novembro 1976 houve a instalação da fábrica de leite em pó da Nestlé. Ambas essas empresas são até os dias de hoje de grande importância para o giro de capital e oportunidades de empregos para a população de Ituiutaba. Já na década de 1980 houve a instalação da usina Triácool, comandada pelo o grupo João Lyra, fazendo com que a nossa região fosse conhecida pela monocultura da cana-de-açúcar.  
No âmbito da história da saúde de Ituiutaba, o primeiro médico residente na nossa cidade foi o Dr. José Petraglia, vindo em 1890. Exerceu sua função durante 23 anos. Em 1925, surgiu a Santa Casa de Vila Platina, pelo o então Agente Executivo João Martins de Andrade, porém não funcionou por falta de equipamentos médicos e enfermeiras. Já em 15 de setembro de 1946, começou a funcionar o primeiro hospital de Ituiutaba, o Hospital São José, onde contava com muitos médicos de prestígio, entre eles: Dr. Antonio Cunha Campos, Dr. João Batista, Dr. Darci de Andrade Furtado, Dr. Valério Lopes da Silva, Dr. Airton Rodrigues, Dr. Walter Cinqüini, Dr. Samir Palis, Dr. Carlos Gomes, Dr. Petrônio Rodrigues Chaves, Dr. Helton Valentini, Dr. José Feres, Dr. Tufi Nicolau Tahan, entre outros. Em 1953, além desse hospital, a cidade já contava com três Casas de Saúde: Casa de Saúde São Joaquim, Casa de Saúde Nossa Senhora das Graças e Casa de Saúde Santa Cecília.
O primeiro jornal chamava Vila Platina e foi seu fundador Pio Augusto Goulart Brum, em 1907. Em 14 de outubro de 1934, foi fundado o “Jornal de Ituiutaba”, por Cícero de Freitas Barros, proprietário da Livraria Barros. No ano de 1935, surge o jornal “O Vencedor”, fundado pelo Diretor do Instituto “Marden”, Professor Álvaro Brandão de Andrade. O jornal teve apenas 1 ano de existência. Hoje temos os jornais: Jornal do Pontal (Diário Regional, ambos estintos), Jornal Gazeta do Pontal, Jornal Folha regional. A primeira emissora de Rádio foi inaugurada em 28 de agostode 1946, com o nome de Rádio Platina e pertencia a seu fundador Adelino Guimarães e mais tarde foi adquirida pela família Junqueira, Alcides Gomes Junqueira e seu filho, Luiz Alberto Franco Junqueira, que mais tarde a negociou com o Grupo Cancella, isso em novembro de 1989. A rádio Platina passou a denomina-se Rádio Globo, por conveniência comercial de seus proprietários. Ao fazer essa transação poz-se fim a uma das mais tradicionais emissoras desse país, encerrando os  mais de 68 anos de história radiofônica nesta cidade. Porém, em 2017, novamente por conveniência comercial a emissora retoma seu nome original, ou seja, Rádio Platina de Ituiutaba Ltda, dessa forma reescrevendo uma história, até então apagada (Devido a repercursão negativa de mundança de nome e de programação, em 2017, a Rádio Platina retomou seu nome de fundação). Temos também A Rádio Cancella AM, inaugurada em 17 de março de 1963 e a Rádio Cancella FM, inaugurada em 1987. Rádio Interativa inaugurada nos anos 90, Rádio Difusora AM e FM, a primeira inaugurada em 1969 e a segunda no final da década 80 e a Rádio Favorita FM, inaugurada no final de 2015. A cidade conta com duas repetidoras de TV, Vitoriosa (SBT) e Integração (GLOBO), mas capta via link os sinas da TVs, Bandeirantes, Record e Rede Vida.
 
Agentes Executivos e Prefeito que ajudaram a escrever a história desta cidade nesses 116 anos de desenvolvimento de Ituiutaba:
 
Agentes Executivos
 
 
 
 
 
1902 a 1905  - Augusto Alves Vilela
 
 
 
1905 - Tobias da Costa Junqueira
 
 
 
 
 
1905 a 1908 - Francisco Alves Vilela
 
 
1908 a 1911 – Fernando Alexandre Vilela de Andrade
 
 
1912 a 1918 – João Martins de Andrade
 
 
 
1919 a 1922 – Antônio Domingues Franco
 
 
 
1923 a 1925 – João Martins de Andrade
 
 
 
1925 a 1926 – Antônio Domingues Franco
 
 
 
1927 a 1931 – Augusto Martins de Andrade
 
 
  
Prefeitos
 
 
1932 a 1935 – Jayme Ribeiro da Luz
1936 a 1940 – Adelino de Oliveira Carvalho
1941 a 1945 – Jaime Veloso Meinberg (nomeado)
1945             – José Américo Macedo (nomeado)
1945 a 1946 – Camilo Chaves Júnior
1946             – Adolfo Mário de Oliveira (nomeado)
1947             – James de Barros (nomeado)
1947 a 1948 – Omar de Oliveira Diniz
1948 a 1951 – Mário Natal Guimarães
1952 a 1955 – David Ribeiro de Gouveia (1º mandato)
1956 a 1959 – Antônio de Souza Martins (Nicota)
1959 a 1962 – David Ribeiro de Gouveia (2º mandato)
1963 a 1964 – José Arcênio de Paula (Cassado ver página)
1964             – Rodolfo Leite de Oliveira (Cassado ver pagina)
1964 a 1966 – Geraldo Gouveia Franco (Interventor ver página)
1967 a 1970 – Samir Tannús
1968 a 1971 – Hildo Alves de Gouveia
1971 a 1973 – Álvaro Otávio Macedo de Andrade
1973 a 1976 – Fued Jose Dib
1975             – José Arantes de Oliveira (interino)
1977 a 1982 – Acácio Alves Cintra Sobrinho
1981             – Euripedes da Costa Melo (interino)
1983 a 1988 – Romel Aníso Jorge
1989 a 1992 – Gilberto Aparecido Severino
1993 a 1996 – João Batista Arantes
1996             – Carlos Melo (interino)
1997 a 2000 – Públio Chaves
2001 a 2004 – Públio Chaves (2º mandato)
2005 a 2008 – Fued José Dib (2º mandato)
2009 a 2010 - Públio Chaves (3° mandato)
2010 a 2012 - Luiz Pedro Correa do Carmo (1º mandato)
2013 a 2016 - Luiz Pedro Correa do Carmo (2º mandato)
2017 a 2020 - Fued  José Dib (3º mandato)
 
 
 
Câmara Municipal de Ituiutaba
 
 
 
História
 
 
Os moradores de Vila Platina já tinham almoçado quando autoridades e populares se reuniram no Paço Municipal.  Eram doze horas, do dia primeiro de janeiro de 1902, a referida reunião tinha uma finalidade exclusiva: empossar a  primeira Câmara Municipal de Vila Platina e instalar o Município criado pela Lei número 319 de 16 de setembro de 1901. Na ocasião, a presença de Francisco Alves Vilela, foi registrada entre as autoridades que pronunciaram em voz alta, o compromisso da lei.Em primeiro de janeiro de 1905, a ata da sessão de posse foi registrada pelo secretário Francisco Alves Vilela.O processo de criação do Município de Vila Platina e a libertação política da cidade de Prata- MG trouxe conseqüências para o povo e para a cidade. Muito tinha para se fazer: pontes, estradas, cemitérios, escolas, iluminação, jardins, canalização de água, a criação do regimento, a verificação dos limites de Ituiutaba com municípios vizinhos, mas os  políticos da época não temeram o desafio e foram a luta...
 
Atas de Reuniões Do Executivo e Legislativo
 
Período – 1908 a 1911
 
Várias atas foram lavradas durante esse período. E vários projetos discutidos e transformados em leis. Ata lavrada de sessão de posse dos vereadores, da eleição do Presidente e Agente Executivo, do primeiro e segundo secretários das comissões respectivas e do Vice- Presidente. "Às doze horas do dia 15 de janeiro de um mil novecentos e oito, na sala da Câmara Municipal, procedendo a chamada dos vereadores eleitos: Antonio Junqueira, Esaú Carvalho, Fernando Alexandre, Francisco Vilela, Francisco Lorena, Fernando Vilela Ribeiro de Andrade e José Cristiano, faltando sem causa avisada os senhores Martins de Andrade Domingues franco e Renato Moura. Havendo número legal o senhor presidente abriu a sessão e convidou as comissões destinadas a darem seus pareceres sobre o reconhecimento de poderes dos novos eleitos, a apresentarem os mesmos. As referidas comissões apresentaram seus pareceres reconhecendo legítima e incontestável a eleição de todos os vereadores já referidos , em virtude do que foram os mesmos proclamados vereadores deste município. Ficando os mesmos pareceres, que foram aprovados, arquivados para em todo o tempo contar. O senhor Presidente convidou os senhores a procederem a eleição para presidente e agente executivo municipal, para Vice- Presidente e para primeiro e segundo secretário, o que foi feito, verificou- se serem eleitos os seguintes vereadores: - Para Presidente e Agente Executivo Municipal: Fernando Alexandre Vilela de Andrade; para Vice- Presidente: Antonio da Costa Junqueira; para primeiro secretário: Fernando Vilela de Andrade e para segundo secretário: Francisco Antonio de Lorena. O senhor presidente interino convidou ao presidente ora eleito a aceitar a cadeira da presidência. O novo presidente ocupando sua cadeira, faz- se de pé, no que foi acompanhado pela Câmara e prestou ao compromisso da lei e, depois de agradecer aos senhores vereadores pela escolha de sua pessoa para o cargo que o elegeram, convidou- os aprestarem os seus juramentos ou compromissos de que trata a lei. De tudo lavrou-se a presente ata que foi assinada por todos os vereadores presentes."
 
 
 
PRESIDENTES
 
 
 

Iº Presiente - Pio Augusto Goulart Brum = 1902
 
Tobias Costa Junqueira = 1905
Francisco Alves Vilela – 1905 a 1907
Fernando Alexandre Vilela Andrade = 1908 - 1911
João Martins Andrade = 1912 - 1915
João Martins Andrade = 1916 - 1919
Antonio Domingues Franco = 1919 - 1922
João Martins de Andrade = 1923 - 1926
Antonio Domingues Franco = 1927
Augusto Martins de Andrade = 1927 - 1930
Tobias da Costa Junqueira = 1936 a 1937
Álvaro Brandão Andrade = 1947 a 1948
José Morais Garcia Vilela = 1948 a 1949
Alcides Gomes Junqueira = 1949 a 1950
Petrônio Rodrigues Chaves = 1951 - 1955
David Ribeiro Gouveia = 1955 – 1959
Geraldo Alves Tavares = 1959 – 1961
Rodolfo Leite de Oliveira = 1961 a 1962
Sebastião Luiz Mamede = 1962 a 1963
Agesípolis Fernandes Maciel =  de janeiro a agosto de 1963
Geraldo Luis Moraes Andrade = agosto de 1963 a fevereiro de 1964
Germano Laterza = de fevereiro a maio de 1964
Jurandir Inácio Moreira = 1964 a 1967
Artur Junqueira de Almeida = 1967 a 1968
José dos Santos Vilela Júnior = 1968 a 1969
David Ribeiro de Gouveia = 1969 a 1970
Joaquim da Silva Campos Primo = maio a agosto de 1970
Garson Abrão = 1970 a 1971
Said Jacob Yunes = 1971 a 1972
Romel Anízio Jorge = 1972 a 1973
José Arantes de Oliveira = 1973 a 1974
Nilson Ribeiro Vilela = 1974 a 1975
José Arantes de Oliveira = 1975 a 1976
Eurípedes da Costa Mello = 1976
Gabriel Palis = 1977 a 1979
Artur Junqueira de Almeida = 1980 a 1981
Gabriel Palis = 1981 a 1982
Said Jacob Yunes = 1983 a 1984
José Barreto Miranda = 1985 a 1986
Said Jacob Yunes = 1987 a 1988
José dos Santos Vilela = 1989 a 1990
Hairton Dias Da Silva = 1991 (interino)
Guilherme Franco Junqueira =  1992
Joseph Tannous = 1993 a 1994
Walter Arantes Guimarães = 1995 a 1996
Rubens Vaz = 1996 a 1997
Neuza dos Reis Domingues = 1997 a 1998
Samir Augusto Jacob = 1998 a 1999
Daniel Paulo Nascimento = 1999 a 2000
Luziano Justino Dias = 2000 a 2001
José Teixeira = 2001 a 2002
Euviro Novaes Andrade = 2002 a 2003
Rubens Vaz = 2003 a 2004
André Vilela = 2004 a 2005
José Barreto de Miranda = 2005 a 2006
  
Mesa Diretora 2005:
 
Presidente: José Barreto Miranda
Vice-Presidente: Suzana Modesto
2° Vice-Presidente: Reginho Luiz da Silva
1° Secretário: Dr. Adalberto Abdo Martins
2° Secretário: Célio Reis
 
Mesa Diretora 2006:
Presidente: Juarez Muniz
Vice-Presidente: Reginho Luiz da Silva
Secretaria: Suzana Modesto
Segundo Secretário : Marcos Willian Drummond
 
Mesa Diretora 2007:
Presidente – Paulo Freire - PMDB
Vice-Presidente – André Luiz Vilela - PPS
1° Secretário – Reginaldo L. Silva – PDT
2° Secretária – Suzana Modesto – PSDB
 
 Mesa Diretora 2008:
 
 PRESIDENTE- REGINALDO LUIZ DA SILVA - PPS
 VICE-PRESIDENTE- CÉLIO DOS REIS ADÃO DA SILVA- PDT
SECRETÁRIO- MARCOS WILLIAN ALMEIDA DRUMMOND-PMDB
SEGUNDO SECRETÁRIO- ANDRÉ LUIZ NASCIMENTO VILELA-PPS
 
MESA DIRETORA 2009:
 
PRESIDENTE- Gilberto Aparecido Severino - PP
VICE-PRESIDENTE- Jorge Tomáz da Silva – PSDB
SECRETÁRIO- Walter Arantes Guimarães Filho – PR
SEGUNDO SECRETÁRIO- Ana Márcia Carvalho Abdulmassih – PP
 
MESA DIRETORA 2010:
PRESIDENTE- Gilberto Bernal Júnior - PP
VICE-PRESIDENTE- Ana Márcia Carvalho Abdulmassih - PP 
SECRETÁRIO- José Barreto Miranda – PTB
 SEGUNDO SECRETÁRIO- Reginaldo Luiz da Silva Freitas – PPS
 
MESA DIRETORA 2011:
 
PRESIDENTE- Walter Arantes Guimarães Filho – PR
VICE-PRESIDENTE- Carlos Rodrigues de Souza – PMDB
SECRETÁRIO- Gilberto Aparecido Severino - PP
SEGUNDO SECRETÁRIO- Antônio Júnior da Fonseca – PPS
 
Hino de Ituiutaba 
 
Música:Jorge Marques da Silva
Letra:Dr. Luiz Jefferson Monteiro da Silva
Dr. Manoel Tiburcio Nogueira
 
Neste Canto da terra mineira,
Brasileiros nascemos um dia,
São José do Tijuco fagueira,
Nossa terra feraz, assim dizia:
Estribilho
Ituiutaba, terra nutriz,
Bendita e amada por todos nós.
Ao porvir risonho, áureo e feliz,
És proclamada em alta voz.
 
A caudal que te banha, volumosa,
Do Rio Tijuco, constante, seguro,
Simboliza a incessante e corajosa
Ação do povo em razão do futuro.
Estribilho
Ituiutaba, terra nutriz.
Bendita e amada por todos nós.
Ao porvir risonho, áureo e feliz,
És proclamada em alta voz.
 
  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

Pesquisa simples
  Digite a palavra:

 
Escolha o departamento:
Receber boletins
Digite seu nome:
Digite seu e-mail: